• Quinta do Condestável

Perdoar é uma desarrumação!

Perdoar.. perdoar não é esquecer.. não é apagar uma dor que nos foi causada..


Este post é sobre este processo, sobre nos perdoarmos e sobre perdoarmos o outro.. e surgiu numa viagem de carro enquanto meditava antes de ir para a Quinta do Condestável.


A meditação era do Cory Muscara e ele falava do quão difícil pode ser dar o perdão a alguém, quando nos magoam muito.


Perdoar não é algo que nós precisamos de apressar! Mas que podemos facilitar se decidirmos abrir a nossa mente a essa possibilidade. Deste modo, o Cory ensina três etapas para o processo de perdão.


A primeira etapa refere-se ao facto de que quando não perdoamos, estamos a dar a possibilidade de nos magoarem mais.


Um dos motivos que usamos para não perdoar prende-se com o facto de termos sido muito magoados, mas a verdade é que perdoar não é esquecer.. perdoar é a forma mais simples de tirar ao outro as armas para não sermos magoados de novo.. é responder com gentileza quando o outro espera que respondas com armas.


E as vantagens de perdoar começam logo nesta etapa.. quando não perdoamos sentimos coisas físicas, como quando eramos crianças e comíamos chocolate às escondidas. Os nossos pais diziam que o comer chocolate fazia dores de barriga, então quando comíamos ficávamos logo com dores.


A verdade é que o não perdoar faz-nos ter estas dores de barriga, faz-nos sentir aquele nó na garganta e enxaquecas horríveis.


Então a lógica é simples: se estamos a dar mais poder a alguém que nos magoou quando não perdoamos, porque é que não tentamos perdoar?


A segunda etapa é o reconhecimento de que independentemente do que alguém nos fez, o que fez não é realmente sobre nós, mas sobre o outro, a sua jornada e a forma como está na vida.. quando nos magoam às vezes acaba por estar relacionado com o facto de entrarmos na sua jornada e por mais que levemos para o pessoal, para a nossa realidade, o que está a acontecer não é sobre nós! Mas podemos representar algo para essa pessoa.. algo que a levou a tratar-nos assim, é tudo apenas um produto de dor dessa pessoa, não somos nós!


A terceira etapa é o refletir sobre o facto de a pessoa ter uma história de vida diferente da nossa. Não podemos saber o que essa pessoa realmente passou, por mais que a conheçamos.. nós não passámos pelo mesmo.


Talvez tenham passado por coisas piores do que as que estão a fazer connosco.. e talvez estejam a tentar perdoar.. não sabemos a sua infância, mesmo que tenhamos crescido com essa pessoa.. NÓS NÃO SOMOS ESSA PESSOA!


A dor e o sofrimento que vivemos, frequentemente, torna-se a dor e o sofrimento que causamos!


Perdoar não é fácil ou simples.. mas ESTÁ TUDO BEM!


Perdoar é um processo.. que pode demorar anos.. e ESTÁ TUDO BEM!


Ser magoado é doloroso e não se esquece.. mas ESTÁ TUDO BEM!



No final deste post quero-vos convidar a refletir sobre o perdão e sobre como TUDO ESTÁ BEM 💛

Podemos demorar o tempo que acharmos necessário.. podemos abrir o nosso coração e a nossa cabeça.. podemos ter medo.. podemos não compreender.. ser magoado levanta várias perguntas e ESTÁ TUDO BEM, é por isso que perdoar leva tempo, mas entregue-se e TUDO ESTARÁ BEM.


Lembrem-se que perdoar alguém não é necessariamente ouvir um pedido de desculpas.. perdoar alguém é como mudar de casa, UMA DESARRUMAÇÃO, mas no nosso coração, vem tudo de dentro dele!

E se o coração estiver mais arrumadinho vamos nos sentir bem 💛



Um abraço,

Mariana Domingos


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo